Rafael Natão, o “Sapão”, como é conhecido no Brasil, não teve muita sorte no UFC 205, disputado no último final de semana, em Nova York. O brasileiro tinha pela frente o experiente americano Tim Boetsch e acabou não sendo páreo para o veterano. Ainda no primeiro round, o americano acertou um belo uppercut, nocauteando Sapão.

A luta durou pouco mais de três minutos e Sapão teve dificuldade para se encontrar no combate. Sem conseguir achar a distância certa, arriscou uns socos em falso e partiu para uma frustrada tentativa de queda. Experiente, Boetsch soube ler bem o duelo e quando achou uma brecha, acertou um belo uppercut no brasileiro, que sentiu. Com Sapão caído, o americano acertou mais alguns golpes até a intervenção do juiz, vencendo por TKO.

Tim Boetsch emplacou assim, a sua segunda vitória seguida na organização. Antes disso, ele vinha de três reveses consecutivos. Em seu cartel, o americano conta com 20 vitórias e 10 derrotas. Já o brasileiro Rafael Sapão perdeu pela segunda vez seguida, deixando para trás a boa sequência de quatro vitórias em sequência. O brasileiro perdeu pela oitava vez em 30 lutas.

Outro brasileiro que entrou no octógono em Nova York foi Thiago Pittbull, mas o experiente lutador acabou superado pelo americano Jim Miller, na decisão dividida dos jurados, em luta parelha. (29-28, 28-29 e 29-28.

Luque atropela Muhhamad; Pittbull perde para Miller

Além de Rafael Sapão, que acabou derrotado por Tim Boetsch, mais dois brasileiros participaram do histórico UFC 205, que aconteceu no icônico Madison Square Garden, em Nova York, no último final de semana. Enquanto Thiago Pittbull foi guerreiro, mas acabou derrotado por Jim Miller, na decisão unânime dos jurados, outro brasileiro, o menos conhecido Vicente Luque, surpreendeu ao atropelar Belal Muhammad, aplicando um nocaute logo no primeiro minuto de luta.

Logo na segunda luta do dia, Jim Miller e Thiago Pittbull fizeram uma luta de muita experiência em Nova York. Em luta bastante equilibrada, protagonizada por dois guerreiros do esporte, Miller segurou a trocação de Pitbull e conseguiu quedas vitais, que acabaram fazendo com que o americano fosse anunciado o vencedor unânime do duelo (30-27, 30-27 e 29-28).

Já a surpresa da noite veio no duelo entre Vicente Luque e Belal Muhammad. O brasileiro, pouco conhecido do público canarinho, levou a plateia à loucura ao nocautear o adversário com apenas um minuto de luta. Luque acertou um cruzado de esquerda que apagou Muhammad. Foi a quarta vitória seguida do brasileiro, a segunda com um nocaute logo no primeiro minuto de luta.

Frankie Edgar supera Jeremy Stephens em luta disputada

De volta ao octógono quatro meses após a derrota para José Aldo, em duelo valendo o cinturão interino dos penas, o americano Frankie Edgar mostrou ter superado o trauma e conquistou uma importante vitória ao bater o compatriota Jeremy Stephens em luta bastante movimentada no Madison Square Garden, em Nova York.

Equilibrado, o combate quase saiu das mãos de Frankie Edgar no segundo round, quando Stephens acertou um lindo chute no rosto do compatriota, que sentiu. Grogue e no chão, Edgar parecia liquidado, mas Stephens falhou em não terminar a luta ali mesmo, dando tempo para Edgar se recuperar. Passado o susto, o experiente lutador usou toda a sua malícia para controlar o duelo durante todo o terceiro round, sagrando-se assim vencedor na decisão unânime dos jurados (30-27, 30-27 e 29-28).

Ex-campeão dos pesos leves, Frankie Edgar vive grande fase desde que desceu para os penas. Até aqui foram seis lutas, com cinco vitórias. Na carreira, o americano acumula 21 vitórias e 5 derrotas. Já Jeremy Stephens ainda não conseguiu emplacar uma boa sequência. Quando consegue uma importante vitória, é derrotado na luta seguinte. Para se ter uma ideia, venceu apenas duas de suas últimas seis lutas. Suas vítimas foram Renan Barão e Dennis Bermudez. Seu cartel é de 25 vitórias e 13 derrotas em 38 lutas.

Foto: Tim Boetsch comemora vitória diante de Rafael Sapão. (Zuffa/LLC)

Boetsch nocauteia Sapão no primeiro round
Votar