Na história do UFC há muitos lutadores realmente bons. E entre eles, o Brasil não ficou de fora, pois tem excelentes representantes. Para aqueles que achavam que os brasileiros só tinham destaque no futebol e no Carnaval, aqui vem uma ótima novidade: vários dos melhores lutadores da história do UFC são brasileiros. Vamos conhecê-los.

Royce Gracie

Com certeza, Royce é a figura principal entre os brasileiros no UFC. Mas também é um grande representante e reconhecido lutador entre todas as pessoas que têm passado pelo UFC. Mas não unicamente é símbolo de vitórias e boas atitudes. Ele significou uma divisão nas artes marciais, por utilizar a técnica sob a força. Mantendo o seu próprio estilo de luta.

Royce Gracie foi vencedor das três primeiras edições de evento. E não ganhou se enfrentando a novatos. Esses enfrentamentos foram mais reconhecidos ainda pelo fato de ter sido contra lutadores muito maiores. Fazendo uma observação sobre isso, na época não havia regras como acontece atualmente. Era permitido praticamente tudo, não havendo categorias nem equilíbrio nisso. Pois lutavam pessoas de disciplinas e níveis muito diferentes.

Algumas das lutas mais destacadas dele são as que fez contra Ken Shamrock e Kimo Leopoldo. E para verificar o nível que ele atingiu, basta saber que foi reconhecido pelo próprio UFC, sendo assim o único brasileiro no Hall da Fama.

Anderson Silva

O mais conhecido como Spider faz parte dos melhores brasileiros nas artes marciais. O ex-campeão Peso Médio, tendo feito lutas inesquecíveis pela força e pelo resultado, tem o recorde de dez defesas de cinturão.

O seu estilo de lutar polêmico lhe valeu o reconhecimento mundial pelas esquivas e os golpes certeiros e poderosos. E, por algo será que, o próprio Dana White o catalogou como o melhor lutador histórico do evento.

É impressionante como este lutador teve uma evolução muito grande na sua carreira, desde os seus inícios. Pois, como ele mesmo o afirma, vem de uma família pobre com o que não tinha as possibilidades de se formar adequadamente. Dando os primeiros passos nisto com crianças do seu bairro, treinando com as poucas ferramentas que possuíam. Já que recém aos 12 anos ele conseguiu iniciar a sua formação formal nas artes marciais.

José Aldo

Mais conhecido como Scarface, por causa da cicatriz do lado esquerdo do seu rosto, provocada pelas suas irmãs, foi o primeiro campeão Peso Pena do UFC e defendeu o seu título 7 vezes, tendo lutado 10 anos seguidos sem ser derrotado.

É reconhecido por ter uma ótima trocação e um poder de nocaute muito grande, venceu também o prêmio de Lutador do Ano pelo World MMA Awards, no ano de 2010.

Mesmo tendo conseguido já tantos prêmios e reconhecimentos, ainda é jovem e segue sendo uma das promessas do esporte brasileiro. Sendo classificado como o melhor Peso Pena do mundo, nos dias de hoje.

Minotauro e Minotouro

Estes irmãos brasileiros são peritos no Jiu-Jitsu e são considerados, por todos, os mais temidos no quesito submissão.

O Minotauro especificamente é o único lutador histórico em ganhar o cinturão dos pesos pesados no Pride e no UFC. Havendo travado lutas muito complicadas com personagens como Bob Sapp, Mirko “Cro-Cop” Filipovic e Fedor Emelianenko.

E o seu irmão, Minotouro, também não ficou sem vitórias. Pois possui seis vitórias por finalização e seis por nocaute. De todas as suas lutas, foi considerada a melhor aquela, ainda no Pride, de três rounds contra Shogun.

Shogun

Maurício Rua, ou Shogun, teve vitórias muito relevantes na sua carreira, devido a que foram grandes nomes os que não conseguiram triunfar contra ele. Por exemplo, venceu seguidamente por nocaute o Coleman e o Chuck Liddell (membros do Hall da Fama do UFC).

Fez parte de uma controvérsia importante no UFC 104, no qual perdeu a luta contra o Lyoto Machida por decisão unânime dos juízes. Como isso deu para muitas confusões, no UFC 113 ocorreu a revanche. Ganhou por nocaute, conquistando o cinturão, e obtendo o reconhecimento como uma das suas melhores atuações.

Vitor Belfort

Com certeza, um dos momentos que ficará na memória de todos os brasileiros é a vitória em tão somente 12 segundos, por nocaute, contra o Jon Hess. Mas também ele nunca será esquecido por várias outras características, entre elas, o fato de ter sido o vencedor mais jovem do UFC, com 19 anos.

Algumas lutas destacadas foram contra Anderson Silva, Liddell, Couture, Franklin, Jon Jones, Wanderlei Silva e Dan Henderson.

Fabrício Werdum

Muitos reconhecimentos possui este grande lutador, tendo sido o primeiro a vencer por finalização o maior peso pesado do MMA, o Fedor Emelianenko. Foi campeão mundial de jiu-jitsu duas vezes, bicampeão no Abu Dhabi Combat Club World Peso Pesado e campeão europeu de Jiu-Jitsu.

Nos seus inícios no UFC, não foi muito bom, mas retornou no ano de 2012 mostrando ter melhorado muito, obtendo assim várias vitórias pela efetividade dos seus golpes.

Junior Cigano

Este especialista em boxe estreou no UFC nocauteando o campeão Peso Pesado Fabrício Werdum, com um forte uppercut.
Lutou contra o Cain Velasquez, tendo uma luta complicada, mas que conseguiu vencer para conquistar o cinturão dos Pesos Pesados.

Rafael dos Anjos

Este lutador é considerado o mais completo e com maior treinamento físico dentro das artes marciais. E atingiu, no ano de 2013, cinco lutas invicto, não podendo conseguir a sexta contra o russo Nurmagomedov.

Disputou o cinturão, na sua categoria, contra o Anthony Pettis, ficando com o título. E defendeu o Peso Leve contra Donald Cerrone, vencendo por nocaute técnico.

Glover Teixeira

Começou no UFC em 2012 e, em tão somente um ano e meio, obteve cinco vitórias. Tendo sido convocado para se enfrentar a Jon Jones.
Glover ficou invicto pelo período de oito anos, perdendo essa invencibilidade em uma luta contra o Jon Jones.

Ninguém duvida que esses grandes lutadores representaram muito bem o Brasil, fazendo com que o país vivesse momentos realmente bons com eles. E, atualmente, não só há homens, mas mulheres que estão deixando a sua marca no UFC feminino, como por exemplo, a Cláudia Gadelha e a Cris Cyborg.

Brasileiros no UFC
Votar