Chris Weidman se mostrou incomodado com as críticas que recebeu de imprensa e público nos últimos dois anos de sua carreira. Depois de um início estratosférico, com um cartel invicto e uma conquista de cinturão justamente diante do lendário Anderson Silva, até então invencível no UFC, veio a tempestade na vida de Weidman. O americano acabou sentindo a pressão na hora de defender o recém-conquistado cinturão, perdendo logo de cara para Luke Rockhold. Depois disso, ainda somou mais dois reveses seguidos, para Yoel Romero e Gegard Mousasi.

– As pessoas se esquecem, mas eu tinha um cartel invicto de 9-0 e eu lutei contra Anderson Silva. Eu estava lutando contra os melhores atletas desse esporte, praticamente sem nenhuma experiência. Encontrei as adversidades quando já estava no topo. A maioria das pessoas encontra a adversidade quando ainda estão começando a carreira. Comigo, a má fase veio quando estava todo mundo assistindo e por isso todos comentavam e duvidavam muito de mim. Foi uma situação muito difícil. Cada luta que eu perdia, eu me sentia como se estivesse sozinho. – disse Weidman, na entrevista coletiva concedida depois de finalizar Kelvin Gastelum, em Nova York.

Depois de espantar a má fase e reencontrar o caminho das vitórias, Chris Weidman agora faz planos mais ousados para a carreira. O americano quer recuperar o cinturão e desafiou o atual campeão Michael Bisping, ainda na coletiva pós-luta.

– O Bisping ganhou esse cinturão porque eu dei essa oportunidade para ele. Antes disso, ele jamais teve uma oportunidade de lutar pelo título. Desde que foi campeão, não enfrentou nenhum lutador bem ranqueado. Não sei se ele está correndo, ou se está com lesão, não sei o que está acontecendo. Eu sou o verdadeiro campeão. Essa luta tem que acontecer. Estou disponível e pronto para lutar. – completou o ex-campeão dos médios.

Foto: Weidman voltou a vencer no UFC após mais de dois anos.

Chris Weidman desabafa sobre as críticas que recebeu por má fase no UFC
Votar