Após os 18 meses mais escandalosos de sua carreira, onde se envolveu em inúmeras confusões, chegando até a ser preso, o americano Jon Jones voltou ao topo do mundo no UFC. No Main Event do UFC 214, disputado no último final de semana, em Anaheim, na Califórnia, Jones passou por cima de seu arquirrival Daniel Cormier e recuperou o cinturão da categoria dos meio-pesados do Ultimate.

Esta foi a segunda vez que Jones derrotou Cormier. Desta vez, a luta durou três rounds. No primeiro, superioridade de Jon Jones, que mediu bem a distância e acertou o rival com bons golpes. O segundo foi mais equilibrado, talvez até com ligeira vantagem para Cormier, que não se intimidava com o tamanho do oponente e chegou a acertar bons contra-golpes em Jones.

No terceiro round, tudo se encerrou. A luta era equilibrada, até que Jon Jones tirou mais um coelho da cartola. O americano mostrou porque é considerado um dos maiores da história do MMA e com um lindo chute alto, derrubou Cormier. Com o rival no chão, ele golpeou implacavelmente até a interrupção de Big John McCarthy, vencendo por nocaute e recuperando o seu trono.

Eu queria dizer que amo muito os meus fãs. E eu quero pedir que aplaudam Daniel Cormier. Ele não tem nada que se envergonhar, sempre será um grande campeão. – disse Jones, sobre o seu rival.

Após a luta, Jones foi cumprimentar um inconsolável Daniel Cormier, que chorava copiosamente e parecia desorientado, arrumando confusão até com o árbitro.

Logo depois do anúncio oficial, Jones ainda fez questão de surpreender a todos ao desafiar o peso-pesado Brock Lesnar para uma superluta.

Brock, se você quiser saber como é apanhar de um cara bem mais leve que você, encontre-me no octógono. – completou o novo campeão dos meio-pesados.

Jon Jones desafia Brock Lesnar

Lesnar desafiado por Jones

Logo após retomar o cinturão dos meio-pesados, ao nocautear Daniel Cormier de maneira implacável, Jon Jones pegou a todos de surpresa no Honda Center, em Anaheim, Califórnia, ao desafiar ninguém menos que Brock Lesnar para uma superluta. A história deu o que falar e na entrevista coletiva pós-luta, Jones explicou o porquê do desafio a um dos principais nomes da categoria dos pesados do UFC.

Eu não sei como essa história com o Lesnar começou, mas cresceu muito rápido. Eu estava falando com os meus empresários e eles disseram que seria uma luta que valeria muito dinheiro. Meus treinadores me disseram que eu posso vencer. Então, coloquei na cabeça que essa luta pode acontecer e traria muito público ao MMA. A luta com o Lesnar faz sentido. Seria um estilo melhor para mim e um salário melhor também. Lesnar tem milhões de fãs fora do MMA. O jogo dele é muito limitado, então a luta poderia me trazer muitas recompensas. – disse Jones, sobre Brock Lesnar, um dos maiores nomes do Wrestling ao redor do mundo.

Jones revelou também a sua inspiração para o pedido de uma superluta no UFC. E ela não poderia ser outra: Conor McGregor.

Um cara como o Conor McGregor tem sido uma grande inspiração para mim. Ele tem mostrado que grandes salários são possíveis. Nunca pensei que seria possível um lutador ganhar seis milhões em uma luta. Imagina então o que ele está recebendo para enfrentar Mayweather, algo como 100 milhões. Ele foi o primeiro cara a pisar na lua e agora todo mundo quer pisar também. Desafiar o Lesnar, é um pouco disso. É buscar os cheques gordos. – finalizou o novo campeão dos meio-pesados.

Desafiado por Jon Jones, Brock Lesnar foi curto e grosso ao responder sobre a possibilidade de enfrentar o americano.

Cuidado com o que deseja, jovem. – limitou-se a dizer Lesnar.

Cormier parabeniza Jones e se desculpa com Big John

Parabeniza e pede desculpa Cornier

Um dia depois de “dar chilique” ao perder o cinturão dos meio-pesados para o arquirrival Jon Jones, o agora ex-campeão Daniel Cormier usou o seu Instagram para esclarecer algumas coisas. Através do post, Cormier tratou de parabenizar Jon Jones pela vitória e se desculpou com o árbitro Big John McCarthy pelo seu comportamento infantil após a luta. DC foi além e tratou de agradecer também a sua equipe e ao UFC pela oportunidade.

Primeiramente, gostaria de agradecer a todos pelas palavras gentis. Senti todo o apoio. Parabéns a Jon Jones e a sua equipe. Eles fizeram um trabalho fenomenal e conseguiram a vitória. Para Big John McCarthy, eu gostaria de pedir desculpas pelo modo como agi com você. Agradeço pelo tempo que você me deu para eu me defender e permanecer na luta. Não é por acaso que você é o melhor nessa profissão. Também gostaria de agradecer ao meu time e aos meus treinadores. Eu amo vocês do fundo do meu coração. Agradeço pelo tempo e energia de vocês, que fizeram um trabalho maravilhosa. Eu estava pronto. Foi uma luta de punhos, e coisas acontecem. Dana White e UFC, obrigado por esta ser a melhor organização de todo o MMA. Novamente, parabéns ao time Jones e JacksonWink. Amo vocês. Vejo vocês em breve. – escreveu DC em sua conta no Instagram.

Veterano árbitro do UFC e querido pela maioria dos lutadores, John McCarthy não demorou muito para se manifestar sobre o episódio e foi ao Twitter, onde fez uma postagem com classe, elogiando tanto Cormier quanto Jones.

Você não tem motivo algum para se desculpar. Você foi um grande campeão que representou o MMA com classe e dignidade. Você fez uma grande luta contra um grande adversário. Foi uma honra estar no cage com dois dos melhores do esporte. – escreveu Big John.

Foto: Chute alto de Jon Jones derrubou Daniel Cormier. (Foto: UFC)

Jones atropela Cormier e recupera o cinturão dos meio-pesados
Votar