Pelo Co-Main Event do UFC 219, disputado no último final de semana em Las Vegas, o russo Khabib Nurmagomedov demonstrou mais uma vez porque é considerado o mais talentoso lutador da divisão dos leves. Lutando diante do sempre brasileiro Edson Barboza, o russo dominou o brasileiro com facilidade, vencendo na decisão unânime dos jurados, com scores de 30-25, 30-25 e 30-24, vencendo confortavelmente todos os rounds do duelo.

Muito técnico, o russo anulou as principais armas do criativo brasileiro, dominou a luta, levou Barboza para o chão nos três rounds e venceu com tranquilidade os três assaltos do confronto, se credenciando de vez como o principal desafiante para o cinturão da categoria.

Aos 29 anos de idade, Khabib ostenta um absurdo cartel de 25 vitórias e nenhuma derrota em sua carreira. Já Edson Barboza, de 31 anos, vinha de vitórias contundentes diante de Anthony Pettis, Gilbert Melendez e Beneil Dariush, mas perdeu pela quinta vez em 24 lutas como profissional de MMA.

Eu quero agradecer a Deus. O meu filho nasceu hoje. Agora eu estou com 25-0. Estou sem nenhuma lesão e posso enfrentar qualquer um. Posso lutar contra o Tony ou o Conor, qualquer um. Edson Barboza é um dos maiores trocadores do UFC e lutei com ele por 15 minutos. Podia tê-lo finalizado, mas queria aproveitar os 15 minutos inteiros, já que eu não lutava há quase um ano. – disse um animado Khabib Nurmagomedov, ainda no octógono.

Apesar de garantir que enfrenta qualquer um em qualquer lutar, Khabib não deixou de afirmar que prefere enfrentar Tony Ferguson do que Conor McGregor.

Eu diria que prefiro Tony Ferguson. Não acho que o Conor voltará tão cedo. Ele precisa gastar todo o dinheiro que ganhou. Quando o dinheiro acabar, ele volta. – completou o russo.

Nurmagomedov exalta Tyson e Ali, mas critica o UFC

Nurmagomedov

A festa foi completa para Khabib Nurmagomedov. Depois de um ano sem entrar no octógono, o russo voltou em grande forma, venceu o perigoso Edson Barboza e se credenciou de vez como o próximo desafiante ao cinturão dos leves. Além disso, Khabib ainda pode ter a sensação de ter um de seus ídolos de infância, o americano Mike Tyson, prestigiar a sua luta, diretamente da T-Mobile Arena, em Las Vegas.

Eu sou fã do Tyson, do Ali. Não quero ser apenas campeão, quero ser grande como esses caras. Ali é o exemplo perfeito. No MMA tem o Fedor. Você tem que ser um campeão dentro e fora do octógono. Eu vi o Tyson lutar com o Clifford Etienne em 2003, às 6 horas da manhã. Eu tinha quinze anos. Agora, quinze anos depois, estou em Vegas, em um dos maiores eventos do UFC e o Tyson está me assistindo. É um sonho se tornando realidade. – disse um extasiado Khabib Nurmagomedov, na entrevista coletiva pós-luta.

Enfim livre das lesões que o atormentaram durante os últimos anos, o russo projeta um 2018 cheio, com três lutas. Uma delas, ele gostaria que fosse na Rússia. Khabib, aliás, tratou de alfinetar o UFC pela falta de empenho em promover uma edição no país.

O UFC precisa trabalhar duro na Rússia. O UFC faz um bom trabalho pelo mundo, mas não na Rússia. É a minha opinião. Eu estou aqui e eles não me promovem lá. Eu promovo o UFC lá sozinho. Eles precisam me conectar para podermos fazer isso juntos. São mais de 25 russos no UFC. O meu sonho é lutar lá. Estou aberto para ajudar o UFC a crescer na Rússia. – completou o invicto Khabib Nurmagomedov.

Khabib domina Edson Barboza e vence com facilidade em Las Vegas
Votar