Robert Byrd foi muito criticado por fãs de luta ao redor do mundo pela supostamente prematura interrupção durante a luta entre Floyd Mayweather e Conor McGregor. Na noite da superluta, Mayweather tinha o duelo sob domínio há alguns rounds e no décimo assalto, partiu para cima de Conor, acertando uma grande sequência de socos. Cansado e visivelmente esgotado, McGregor não conseguia se defender e mal conseguia manter os braços levantados. Apesar disso, ele não chegou a cair. Com o irlandês nas cordas, Robert Byrd decidiu interromper a luta, dando a vitória à Floyd, por TKO.

Quem saiu em defesa do experiente árbitro de boxe foi o conceituado médico irlandês Darragh O’Caroll, que durante anos atuou em lutas de boxe. Darragh no entando, alegou que Byrd não interrompeu a luta pela fadiga do irlandês e sim por uma precaução de que Conor pudesse ter sofrido algum tipo de concussão cerebral durante a luta.

Aparentemente, a paralisação da luta por Robert Byrd não foi motivada pela fadiga de Conor mas sim por sinais de lesão traumática no cérebro. A fadiga pode causar letargia ou desaceleração no movimento mas não causa a falta de equilíbrio ou coordenação motora demonstrada por McGregor durante o décimo round. Ele ficou trêmulo e isso sempre será tratado como um trauma na cabeça. Deixar o lutador continuar sob esses sinais seria uma negligência grosseira. – defendeu o médico.

Na contramão do árbitro e também do médico, Conor McGregor reclamou bastante da interrupção, alegando que o juiz devia ter ao menos esperado que ele caísse para interromper a luta.

Médico diz que árbitro acertou ao interromper luta entre May e Mac
Votar