Muita-bomba-no-UFC-200

A primeira parte do Card Preliminar do UFC 200, disputado no último final de semana em Las Vegas, teve três lutas. Por coincidência, as três lutas terminaram com nocautes fulminantes, todas ainda no primeiro round.

Abriu o histórico evento, na T-Mobile Arena, o duelo entre Jim Miller e Takanori Gomi. Preciso, o americano precisou de pouco mais de 2 minutos para nocautear o japonês. Quando achou uma brecha, Miler agarrou as costas de Takanori e aplicou golpes na cabeça, até a intervenção do árbitro. O duelo foi válido pelos pesos leves do UFC.

A segunda luta do dia foi entre o holandês Gegard Mousasi e o brasileiro Thiago “Marreta” Santos. No duelo dos experientes pesos-leve, melhor para Mousasi, que com um belo nocaute, ainda no primeiro round, não deu chances ao brasileiro, engatando a sua segunda vitória seguida no UFC. Curiosamente, a última vítima do holandês foi o também brasileiro Thales Leite. Já Thiago Marreta teve a sua sequência de quatro vitórias seguidas na organização interrompida por Mousasi.

A terceira luta do UFC 200 também foi entre dois lutadores de muita experiência na organização. O enfrentamento foi entre os compatriotas Joe Lauzon e Diego Sanchez. Acostumado a dar espetáculos, Lauzon derrotou Sanchez com um belo nocaute e de quebra levou para casa o seu 13º prêmio por performance no UFC, ganhando o bônus de performance da noite. Ele é o atualmente o recordista do feito no UFC. O fulminante nocaute aconteceu com apenas 1 minuto e 26 segundos de luta.

Foto: Lauzon nocauteou Sanchez em pouco mais de um minuto de luta.

Muita bomba no UFC 200
Votar