Mais de um ano depois de ser surpreendida por Holly Holm, sofrer a primeira derrota da carreira e de quebra, perder o cinturão do peso-galo feminino do UFC, Ronda Rousey enfim está de volta. Afastada dos holofotes há quase 14 meses e vivendo uma vida praticamente reclusa, a americana ainda não havia falado com a imprensa no ano de 2016. Isso mudou nesta semana. Dias antes de enfrentar Amanda Nunes, pelo cinturão dos galos, em seu retorno ao UFC, a americana concedeu uma rara entrevista, ao programa “Countdown”, do próprio UFC e falou um pouco sobre este ano “sabático” que tirou após ser nocauteada por Holly Holm no UFC 193, em novembro de 2015.

Ainda me dói pensar que eu poderia ser uma pessoa que poderia ter ganhado tudo. Não sou mais essa pessoa e tenho que conviver com isso. Eu gostaria de ter sido essa pessoa. Estou voltando para conquistar esse título e pelas pessoas que acreditaram em mim. Tudo está em jogo agora. Eu ouço coisas horríveis faladas sobre mim todos os dias. Milhares de pessoas tentando chegar a mim com coisas negativas. As pessoas gostam de ver a pessoa chegar ao topo e depois cair. Porque aí sabem que são humanos como elas. Lutar é a minha vida e preciso voltar a fazer isso. Ainda sou a maior lutadora do mundo. – garantiu Ronda Rousey.

Ronda Rousey fará a luta principal do UFC 207, que acontece nesta sexta-feira, dia 30 de dezembro, em Las Vegas. A americana enfrentará a brasileira Amanda Nunes pelo cinturão do peso-galo feminino do Ultimate.

Foto: Após mais de um ano sem lutar, Ronda Rousey está de volta ao UFC.

Ronda Rousey volta a lutar pelo UFC
Votar