Após fugir de um exame antidoping surpresa no começo do ano, o recém-aposentado Wanderlei Silva foi banido do MMA pela Comissão Atlética de Nevada, em decisão tomada em setembro deste ano. Apesar de ter declarado a aposentadoria na mesma semana do banimento, o ex-lutador está agora recorrendo da decisão e decidiu entrar com um recurso nos tribunais americanos para tentar reverter a decisão.
Ao comentar a decisão do NSAC (Comissão Atlética de Nevada), o advogado de Wanderlei Silva, Ross Goodman se mostrou indignado com a situação e confirmou que entrou com recurso para que o caso seja julgado em um tribunal.
– Estamos apelando esta decisão. Isto tudo que aconteceu foi uma grande desonestidade do tribunal e agora nós queremos uma audiência real. A decisão do NSAC foi absurda e premeditada. – declarou Goodman.
Em maio deste ano quando ainda se preparava para o duelo diante de Chael Sonnen (que acabou não acontecendo) Wanderlei foi surpreendido enquanto treinava por agentes da NSAC que pediram ao ex-lutador um exame imediato de urina e sangue. Wanderlei se recusou e “fugiu” pela porta dos fundos e teria ido direto para um aeroporto. Como pena por esta ação, Wanderlei foi proibido de praticar MMA no Estado de Nevada pelo resto de sua vida. Na mesma semana da decisão do NASC, o Cachorro Louco anunciou sua aposentadoria, em vídeo no qual criticou duramente o UFC, alegando ter perdido a vontade de lutar.

thumb2

Desde que anunciou sua aposentadoria do MMA, Wanderlei Silva vem criticando publicamente o UFC.

Wanderlei recorre em tribunal dos EUA contra banimento do MMA
Votar